segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Foguetes

Foguetes que direitos ao céu saltavam
para avisar do começo da festa
reunindo o povo da aldeia que saltavam
povo que com alegria se manifesta.

Tradição que com o tempo se perdeu
em que os moços e moças cantavam
na desfolhada para quem já leu
milho preto amantes se beijavam.

10 comentários:

Savi disse...

Olá amigo
Sua veia poética é fantástica serve de moldura para os seus quadros.
Gostei da combinação de cores que usou neste quadro.
bjs. e bons trabalhos

Mal-Me-Quer Bem-Me-Quer disse...

Olá Zé
Adorei as cores desta tela.
Está muito bonita
Em certas zonas ainda se ouvem muitos foguetes
Bjs
Ana

Paula Raposo disse...

Incandescente....beijos.

Mona Lisa disse...

Olá Zé

As cores fortes que tanto gosto!

Bela tela!

O poema bem adaptado à tela.

Bjs.

Graça Pereira disse...

Ao estalar dos foguetes...começava a festa e a reinação. Será que ainda hoje é assim? Pelo menos na tua tela, a festa está rija e os foguetes não páram de estalar, com as cores fortes da alegria.Parabens.
Um beijo e boa semana.
Graça

RETIRO do ÉDEN disse...

Bonita e bem colorida esta tela.

Hoje dia de S.Martinho...vamos à adega buscar o Vinho! e os foguetes!

Forte Abraço,
Mer

Graça Pereira disse...

Obrigada por todo o teu carinho.
Um beijo e bom fim de semana com muitas pinturas..
Graça

Just Me...S disse...

Confesso que este não é dos meus preferidos mas gostei do poema.

Beijinho doce

PS: nunca mais comnetaste no meu!! aiaiaiaia

Princesa disse...

OLÁ, PASSANDO PRA DESEJAR UMA OTIMA SEMANA.
BEIJOKAS
FLOR

Multiolhares disse...

Vim visitar o teu cantinho e descobrir as novidades
bjs